Cães e sua alimentação

comendo

Dicas com a Dra Maíra Severo sobre uma alimentação equilibrada!

Uma alimentação equilibrada é essencial para um bom início de vida. É durante a fase de crescimento que se estrutura a futura saúde do cachorro, pelo que é fundamental evitar erros nutricionais durante este período tão importante para a sua vida.

A alimentação do cachorro deve satisfazer não só as suas necessidades específicas como, também, assegurar a máxima qualidade e esperança de vida. Só um alimento completo e equilibrado consegue favorecer o correto desenvolvimento do esqueleto, músculos e órgãos e, simultaneamente, ajudar a manter o peso ideal.

Independentemente da raça, o cachorro filhote tem necessidades em energia, proteínas, minerais e vitaminas muito superiores às de um cão adulto. Além disso, o cachorro não consegue digerir o amido tão bem como um cão adulto. Assim, o alimento para o seu cachorro deve ter elevado teor energético, grande concentração de todos os nutrientes essenciais e nível limitado de amido.

Por outro lado, é importante levar em consideração que, nesta fase, o sistema digestivo do cachorro permanece imaturo, o que pode conduzir a problemas digestivos, nomeadamente diarréias. Além disso, a imunidade adquirida através do colostro (primeiro leite materno) diminui gradualmente, mas o cachorro ainda não desenvolveu totalmente a sua própria imunidade. O alimento deve, por isso, ajudar a reforçar a segurança digestiva e as defesas naturais do cachorro.

A duração e a amplitude do crescimento de um cachorro, as suas necessidades energéticas e sensibilidades específicas, e a sua esperança de vida são elementos que dependem do tamanho do cão. Por exemplo, os cães de raça grande apresentam um crescimento muito longo e muito intenso e uma esperança de vida mais reduzida, o que implica um envelhecimento precoce.

Porque o crescimento dos cachorros se processa de forma distinta consoante. O seu tamanho em adulto, a sua alimentação também deve ter este fator em consideração. Por exemplo, um cachorro de raça pequena possui cerca do dobro das necessidades energéticas de um cachorro de raça gigante, porque a sua fase de crescimento é muito mais curta e rápida: 8 a 10 meses para as raças pequenas e 18 a 24 meses para as raças grandes e gigantes.

Tenha em atenção que tanto os excessos como as carências nutricionais são nocivos para a saúde do seu cachorro e, assim, é conveniente que possua um bom conhecimento qualitativo e quantitativo das suas necessidades, que são diferentes das nossas.

Abaixo, alguns conselhos úteis que poderão ajudá-lo a melhor o cuidado com os cachorros:

-Alimente o animal sempre no mesmo local e após as refeições familiares. Essa atitude irá evitar de que eles fiquem perto da mesa pedindo (latindo) durante suas refeições.

-Nos pacotes de rações sempre deverá constar uma tabela que tem a quantidade de ração a ser fornecida diariamente de acordo com peso e idade, importante seguir essa medida assim evitando sobrepeso ou obesidade.

– Até aos 5-6 meses de idade, fracione a dose diária do alimento em 3 refeições;

– Se for necessário alterar a alimentação, introduza o novo alimento de forma gradual misturando a nova dieta a antiga ao longo de uma semana , de forma a facilitar a adaptação do sistema digestivo do cachorro;

– Não ceda à tentação de administrar sobras das refeições familiares ou guloseimas, porque estas são prejudiciais para o equilíbrio nutricional do cachorro.

Espero ter ajudado e esclarecido algumas questões sobre este assunto.

Beijos e até a próxima dica veterinária.

Maíra Severo medica veterinária CRMV 9400

Tags: