Pense bem antes de ter um cão!

adotar-um-filhote-de-cachorro

A cena é comum. Ao visitar um evento de adoção ou um petshop, as crianças – ou mesmo toda a família – se encantam com o excesso de fofura dos bichinhos e decidem levar um deles para a casa.

Só quem tem um pet sabe as alegrias que eles são capazes de nos proporcionar. Por outro lado, é muito importante que essa decisão não seja fruto de um impulso. Ter um cãozinho, gatinho ou qualquer outro bicho exige muita responsabilidade.

Você já parou para refletir sobre isso? Nós vamos ajudá-lo.

Cães precisam de cuidados

É importante esclarecer, antes de qualquer coisa, que bichinhos de estimação não são brinquedos. Eles são seres vivos e, como nós, sentem fome, sede, frio e precisam de carinho.

Desse modo, aí vai a primeira dica: os cuidados com um cão vão muito além da alimentação ou deixar um pote de água ao seu alcance. É preciso zelar pela saúde e bem-estar do seu pet.

E isso contempla várias responsabilidades: desde a oferta de uma razão de boa qualidade até o acompanhamento da caderneta de vacinação. Além da imunização contra a raiva, existem muitas outras doenças que podem ser evitadas. Nem todas, porém, são oferecidas gratuitamente.

Tenha paciência para ensiná-los

Uma vez que o cão esteja confortavelmente acomodado em sua casa, tem início a fase de adaptação: é preciso muita paciência para educá-lo. Não é do dia para a noite que ele vai fazer as necessidades no local que você acha mais adequado.

Lembrem-se que, conforme o ambiente que você mora, o cão pode latir ou aprontar alguma outra travessura, como por exemplo, derrubar seu objeto favorito, aquele que você adorava ostentar no meio da sala.

Nessa hora, é importante manter a autoridade sobre o animal, mas, em hipótese alguma, deve-se partir para a agressão física. Existem outras técnicas mais eficazes para a correção de comportamentos inadequados, mas isso é assunto para um outro texto.

Mesmo diante de seus vários compromissos do dia-a-dia, é importante que você reserve parte de seu tempo para dedicar atenção para o seu companheiro de quatro patas: em tese, não é preciso muito além de levá-lo para passear (via de regra, eles adoram) ou jogar uma bolinha.

Estabelecer um vínculo é decisivo para que o seu bichinho se torne sociável. A ausência de afeto pode contribuir para que ele desenvolva problemas de comportamento.

Lembre-se: cães não são descartáveis

Por último, a mais importante recomendação de todas: animais de estimação não são objetos descartáveis, dos quais você pode se desfazer mediante a primeira dificuldade – como, por exemplo, a mudança para um apartamento menor – ou mesmo uma suposta “incompatibilidade” de adaptação.

Ao levar um cão para casa, lembre-se de que ele dependerá de você enquanto viver. E que isso acarreta em custos: para proporcionar-lhe uma boa qualidade de vida (cuidados com a saúde e higiene) e alguns mimos – porque eles merecem – novas despesas serão incorporadas ao seu cotidiano.

Em contrapartida, você ganhará o presente mais valioso de todos: ganhará o amor incondicional de um “serumaninho”. Em troca, ele pedirá apenas alguns afagos na barriga.

 

Toda a equipe da Ponto do Cão apoia e incentiva a conscientização dos tutores antes de levar os animais para a casa. Se você já tem um animal de estimação, compartilhe conosco outras sugestões importantes e comente nesse post.

 

O seu depoimento pode ser decisivo para motivar outras famílias a finalmente terem seu bichinho. Até a próxima!

Tags: